Pesquisar este blog

sábado, 21 de setembro de 2013

A flor e o jardineiro do amor


A flor e o jardineiro do amor (por: Kraudião)

Uma flor não deve se cansar de ser admirada e desejada,
Faz parte sua missão atrair atenção para sua sutileza.
Inevitável seu poder de atração e sedução ao olhar de quem passa...
Os mais atentos irão descobrir muita mais que aparência,
Um desejo em querer compreender o motivo de tanta beleza.

Instigante e interessante dom em despertar curiosidade alheia,
Uma amostra da assinatura e riqueza da natureza que se revela...
Um brilho próprio define sua luz e simetria incomum naquele jardim.
Sua atmosfera é rica de mistérios, mas esbalda de alegria.
Basta ter paciência em saber admirar seus detalhes e perfil.

 Mas como podes uma flor num jardim de encantos ser protegida?
Ela precisa de cuidados para não ser roubada do seu lugar...
Muito menos ser maltratada por alguém que possa violentar tamanha formosura...
Estava ali tanto tempo disfarçada, para alguns, em sua timidez.
Mas ela de tudo antes se escondia na simplicidade em ser,
Há muito a todos já observava e sabia o que queria,
Não apenas olhares distantes de quem passava apressado,
Pois, talvez o seu ser clamasse um pouco mais de atenção.

Sua vida sempre fora diferenciada por quem ali um dia plantara,
Sua família de rosas, orquídeas, lírios e tantas outras flores lindas,
Vivia cheia de amor próprio porque a vida lhe fizera forte assim,
Em meio a tantas outras beldades ela era a mais diferente,
Criada com tanto zelo nesse jardim de ilusão aos olhos alheios...

Qual seria então a solução para tão bela e atrativa flor continuar tão encantadora?!
Ela que ao olhar hipnotiza e cria na mente de quem a ver, desejos e paixões?!
Só me resta pensar numa única e derradeira solução para algo tão fascinante,
 Em poder provocador pela simetria de sua forma e magia de sedução!
Ela precisava se livrar da possível dor ao ser capturada por qualquer um.
 Alguém inexperiente, vendedor de sonhos em propor novo jardim como morada!!
Onde seria como as outras ou apenas mais uma bela flor a enfeitar andor,
Neste mundo material e consumista de sonhos inerente aos materialistas.

Ela precisa, sem dúvida alguma, de alguém que a cultive e cuide também da sua essência feminina de mulher.
Cultivando com carinho e contemplando diariamente sua forma,
Alguém que possa manter e cultivá-la exuberante de felicidade plena,
E este alguém não pode ser outro se não eu, o jardineiro do amor!!


Salvador-BA, 21 de setembro 2013