Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Era uma vez... o tempo


Era uma vez... o tempo (by Kraudião)

De que tempo você precisa?
Tempo de espera, de guerra e de paz.
Tempo de luta, de folga e de escuta.
Tempo de solução, de fome e de labuta.
Tempo de semear, de colheita e de férias.
Tempo de relação, de arriscar e de conquistas.
Tempo de autoconhecimento, de introspecção e de caos.

Qual o seu perfil no tempo?
Tempo dos amantes, dos apaixonados e dos malucos.
Tempo dos músicos, dos poetas e dos compositores.
Tempo dos iluminados, dos pensadores e dos geniais.
Tempo dos professores, dos alunos e dos estudiosos.
Tempos dos artistas, dos boêmios e dos insanos.
Tempo dos políticos, dos esquecidos e dos telespectadores.
Tempo dos familiares, dos idosos e dos cuidadores.
Tempo dos conquistadores, dos aventureiros e dos fantasiosos.
Tempo dos visionários, dos reformadores e dos revolucionários.

Para que você usa o tempo?
Tempo para amar, para viver e para gozar.
Tempo para trabalhar, para brincar e para malhar.
Tempo para comer, para dormir e para rezar.
Tempo para sentir, para ser e para realizar.
Tempo para acusar, para disputar e para brigar
Tempo para abraçar, para acolher e para inspirar.
Tempo para esquecer, para descansar e para escrever.
Tempo para meditação, para escolhas e para transcender.
Tempo para fantasias, para sedução e para satisfação.
Tempo para seduzir, para conquistar e para beijar.
Tempo para engordar, para emagrecer e para festejar.

Com qual tempo você mais lida?
Tempo com chuva, com você e com prazer.
Tempo com saudade, com ciúme e com agitação.
Tempo com tesão, com suspiros e com emoção.
Tempo com ansiedade, com pressa e com stress.
Tempo com dinheiro, com sabedoria e com alegria.
Tempo com volúpia, com disposição e com explosão.
Tempo com amigos, com colegas e com conhecidos.
Tempo com harmonia, com compasso e com dissonantes.
Tempo com desempenho, com determinação e com vitórias.

Tempo sem pressa, sem tensão e sem dieta.
Tempo sem ilusão, sem dor e sem mentiras.
Tempo sem escuta, sem perdão e sem dormir.
Tempo sem sofrer, sem desejos e sem expectativas.
Tempo sem pressão, sem trabalho e sem sofrimento.
Tempo sem violência, sem corrupção e sem conflitos.
Tempo sem dinheiro, sem despesas e sem disputas.
Tempo sem celular, sem solidão e sem tempo.
Tempo sem medos, sem culpas e sem apegos.
Vem viver um novo tempo, o atemporal...


Salvador-BA, 07 de Outubro de 2014