Pesquisar este blog

domingo, 19 de maio de 2013

Quantas palavras


Quantas palavras (por: Kraudião)

Palavras belas e bondosas,
Ou simplesmente feias e maldosas.
Belas ao descrever a essência das coisas,
Bondosas em transmitir o melhor das vibrações,
Feias quando fora do contexto e bom senso,
Maldosas por virem carregadas de má intenção.


Palavras alegres e vibrantes,
Ou tristes e apáticas.
Alegres pela sonoridade agradável em si,
Vibrantes pela sonoridade que ecoam,
Triste pelo pesar que transmitem sem dó,
Apáticas pela indiferença alheia que causam.


Palavras de tesão e amor,
Ou descaso e confusão.
Tesão na pronúncia do clímax que se vive,
Amor no despertar dos sentimentos mais nobres,
Descaso ao passarem batidas sem efeito no agir,
Confusão em todas às vezes que são ditas sem refletir.


Palavras poéticas e musicadas,
Ou herméticas e elaboradas,
Poéticas sempre que traduzem sentimentos pueris,
Musicadas quando harmonizadas em rimas e acordes,
Herméticas se direcionadas ao um público seleto e específico,
Elaboradas pela retórica e discurso visando impressionar.


Palavras infantis e lúdicas,
Ou arcaicas e conservadoras.
Infantis pela sinceridade espontânea em se dizer,
Lúdicas pelo efeito renovador e vitalizante em mim e você,
Arcaicas porque há muito anda fora de uso e sem contexto atual,
Conservadoras na permanência da forma escrita e postura do locutor.


Enfim, quantas palavras mais poderia aqui descrever?
Enquanto viajo no meu teclado de letradas separadas,
Mas que apenas quando combinadas fazem algum sentido,
Idéias que vão colando meus pensamentos a exprimir,
Sentidos da minha alma que quero compartilhar com vocês,
Porém, uma hora as palavras acabam de explodir,
A inspiração vai acabando e os versos chegam ao fim!

Salvador-BA, 19 de Maio de 2013