Pesquisar este blog

terça-feira, 4 de setembro de 2012

À beira do caminho


 Em cartaz - À Beira do Caminho (por: Kraudião)

A estrada me leva a sair por aí
Em busca de novas experiências,
Atrás de coisas que nem eu mesmo sei dizer.
Mas me instiga e impulsiona ter
A possibilidade de pelo menos caminhar.


A estrada foi a saída que encontrei para tentar
Fugir das coisas que me atormentam mente,
Como um passado dolorido que quero esquecer.


Pela estrada, sigo muitas vezes sem rumo definido.
Apenas eu e minha solidão que cada vez mais se amplia,
Como este horizonte distante que se apresenta
Do ponto de vista desta cabine do caminhão.


Pela estrada a velocidade é constante e as lembranças também
Ao som dos auto-falantes toca o Rei Roberto Carlos,
“Veja bem, preste atenção e esta a nossa canção.”
Sigo em frente decidido e quase nunca paro.


Na estrada é onde tento me encontrar de novo,
Procuro nas lembranças, repetidas vezes,
Os bons momentos que vivi com você.
Mas as tristezas também insistem em se apresentar,
Trazendo nossos momentos de crises até a separação.


Na estrada eu encontrei um guri que buscava encontrar,
Com toda sua energia, saudade e aflição,
Assim como eu, um alguém na sua vida.
Quase não tinha memórias vividas,
Mas um novo futuro queria experimentar.


Na estrada juntos convivemos um período curto,
Não foi tão bom assim para ele, muito menos para mim.
Sua presença sempre me lembrava das fortes emoções,
Momentos únicos de nós dois apaixonados.
Você que vivera comigo a melhor fase da minha vida.
E agora quando penso em você, só me vem o gosto da despida.


Na estrada um dia encontrarei os pedaços que deixei,
Pela estrada irei até o fim para me encontrar no infinito,
Uma estação final para que possa me reencontrar enfim,
Após anos de mergulho, viajando quilômetros afora.
Com a estrada aprendi em anos de reflexão,
Que só serei feliz e mais completo estando de novo contigo,
Para juntos construirmos uma nova e bela história de amor.

Salvador-BA, 04 de Setembro de 2012.