Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Breve passagem

Breve passagem (Por: Kraudião)

Breve passagem para dizer mais do que um olá, vocês!
Vocês que não esqueço porque também sou um,
Um filho do mundo com seu ticket de passagem,
 Dirigindo-se à estação da luz, um canto do universo nos espera.
Breve passagem para lembrar a todos vocês!
Vamos construindo juntos, os mais diferentes caminhos,
Trajetórias ricas e diversificadas de experiências gravadas n’Alma,
Ela que é o depositário de nossos sentimentos latentes e pujantes,
Alma embalada pelo corpo material que insiste em dominar sutil aptidão,
O dom de traduzir a manifestação do que de mim há de mais absoluto.
Breve passagem do que sempre foi desconhecido de vocês!
O somatório de tantas vidas experientes que já existiu,
Existências plenas ou não de virtudes a se revelar no tempo,
De vícios resistentes em abandonar nossas decisões cotidianas,
Ações impensadas e desconexas do sentir mais essencial para o viver,
Retornando a cada nova breve passagem por aqui, tempos depois.
Sim, porque agora percebo o que me mantém nesta roda viva de passagens!
Lições repetidamente oferecidas para que possamos perceber o que aprender,
Mudanças essenciais para um novo processo de evolução espiritual,
Aprendendo a se libertar da materialidade vil e escravizante gerenciada pelo ego,
Ele nunca quer ser subjugado e tenta crescer em cada nova passagem como erva daninha.
Agora a noção da breve passagem mudou e quero contar isso para vocês!
Tantas são as oportunidades disfarçadas como tentações, pressões e provocações,
Quase sempre ampliamos os problemas decorrentes da falta de reflexão,
O refletir de sentimentos internos recursos insuperáveis para realização,
Acelerando cada vez mais de forma abreviada nossas etapas de passagens,
Existe uma Lei Natural que regem todas as coisas do Universo,
Sintonia instantânea dos Sensibilizados, Despertos e Renascidos,
Todos filhos de um PAI que nunca julga ou condena, pois é justo e perfeito.
E só assim então, vamos descortinando o véu de Ísis que antes nos cegava,
Impedindo de compreender a verdade absoluta e se libertando do que é relativo,
Pois quando encontramos o nosso centro de divino somos merecedores da plenitude,
E assim nos libertamos do processo causa-efeito regido pelo carma,
Porque a LEI e Eu agora somos UM, idênticos ao PAI e nada mais de passagens...

Salvador-BA, 09 de abril de 2012.