Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

No Tempo


No tempo (por:Kraudião)

No tempo às vezes me perco,
No tempo às vezes me encontro,
Às vezes no tempo viajo,
Às vezes no tempo me encanto,
Simplesmente, no tempo, me apago.

No tempo às vezes saudades,
No tempo às vezes milagres,
Às vezes no tempo me esqueço,
Eventualmente, no tempo, te deixo.

No tempo às vezes a paz,
No tempo às vezes se vai,
Às vezes, no tempo, só espero,
Quase sempre, no tempo, te quero.

No tempo às vezes lembranças,
No tempo às vezes sou criança,
No tempo às vezes reflito,
Às vezes no tempo ecoa um grito,
Aparentemente, no tempo, nem existo.

No tempo às vezes muitas horas,
No tempo às vezes só agora,
No tempo às vezes escrevo,
Às vezes no tempo alguns medos,
Às vezes no tempo só segredos,
Satisfaço, no tempo, teus desejos.

Às vezes no tempo não se volta,
Às vezes no tempo abre-se uma porta,
No tempo às vezes só tempo,
No tempo experimento a vida com sentimento,
No tempo encontro a plenitude do autoconhecimento.


Salvador-Bahia, 24 de Setembro de 2010.