Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Pra que?


Pra que? (por:Kraudião)

Piscina para ficar, se tenho a praia.
Brozeamento para embelezar, se tenho calor humano.
Teatro para sonhar, se tenho cinema.
Família para conversar, se tenho amigos.
Dormir até mais tarde, se tenho a manhã para curtir.
Ex-amor para pensar, se tenho amor dar.
Aniversários para ir, se tenho uma vida por aí.
Pesar para sofrer, se tenho alegria do que sei.
Angústias a sentir, se tenho esperança.
Desculpas para confessar, se tenho consciência no agir.
Promessas a revelar, se tenho a realidade do saber.
Tristezas no olhar, se tenho uma lente para pesquisar.
Passado que me segue, se tenho um presente a viver.
Futuro a desejar, se tenho o aqui e agora.
Incertezas no ar, se tenho a clareza no chão.
Pessoas para aplaudir, se tenho certezas dentro de mim.
Velocidade desgovernada, se tenho direção segura.
Paixões momentâneas, se tenho sentimentos verdadeiros.
Torrentes de emoções, se tenho me dedicado a reflexões.
Segredos escondidos, se tenho um livro aberto com tudo escrito.
Amor em gotas, se tenho DEUS como fonte.
Ligações diárias, se tenho como estar aí.
Desculpas repetidas, se tenho conhecimento de causa.
Expectativas desejosas, se tenho feito tudo sozinho.
Imagem pessoal zelosa, se tenho transparência em meus atos.
Histórias da carochinha, se tenho a ciência ao meu dispor.
Cores esfuziantes, se tenho discrição elegante.
Um fim de semana, se tenho o mês completo.
Mensagens constantes, se tenho um roteiro certo.
Desencontros casuais, se tenho endereços para onde ir.
Boa intenção, se tenho uma realidade diferente.
Hora marcada, se tenho sempre que esperar.
Viagens mentais, se tenho a estrada como meu lugar.
Dor no coração, se tenho agora alma liberta.
Enfim, porque precisamos insistir no que não é mais necessário?

Salvador-Bahia, 01 de Julho de 2010.