Pesquisar este blog

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Amor e Ódio

Amor e Ódio (por: Kraudião)


Faces da mesma moeda que consiste uma relação.

Muitas vezes adormecida em sentimentos escusos,

Coisas da nossa mente mega-imaginária em seu viver.

Se analisamos com profundidade e de um jeito imparcial,

Faz- se clareza dos fatos e acontece a compreensão.

Caso contrário, turva-se a visão e ampliam-se pequenas evidências,

O pouco que existia toma plena forma e estabelecemos a confusão.

Amor sinônimo de amizade, fé, união e cumplicidade.

Ódio conseqüência direta da suspeita, imaginação e incapacidade

De pensar e analisar diferente sem o véu da ignorância.

Amor e ódio extremos sentimentos tão complementares,

O primeiro já foi desbastado por experiências tão claras e significativas.

O segundo ainda em processo de aprimoramento rumo à sutileza,

O destino inevitável de que toda forma bruta evolui,

Um processo de descondensação de formas imaginárias

Até então grotesca e que impede contemplar

A lucidez da verdade tal qual ela é!

Amor sentido de dever cumprido, obra realizada com sentimento,

Consciência tranqüila e paz de espírito.

Ódio, uma força em construção do que pode ser ainda melhor.

Alimentado constantemente por pequenas raivas ensandecidas,

Por decisões frequentemente impensadas e impulsivas,

Surtos de impaciência e da falta de análise de dados reais.

O ódio se transformará vivenciando a sabedoria,

Se tornando menos presente e muito mais fugaz!

Ainda bem que o amor é atemporal e sabe esperar

Por tudo que ainda há de ser melhor.



Salvador-BA, 09 de abril de 2010.