Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Vitrines


Vitrines (por: Kraudião)

Oh!! Vitrine amada que tanto me cativa.
Seu convite é imperativo em te olhar,
Seu apelo é mais forte que meu desejo de partir.
Encantas pela magia da fascinação,
Itens convidativos que seduzem sem ter fim.

Oh!! Vitrine desejada por quase todos.
Aqueles que aqui passeiam de um lado para outro,
Ampliando desejos contidos e sede de consumir.
Te consumo pelas belas imagens que produz,
Me consumo em dúvidas pelas diversidade de ofertas,
Consumindo um tempo que nem sempre disponho,
Mas sem querer vou ficando e nada me liberta.

Oh!! Vitrine bandida e cheia de intenções.
Sabe bem o quanto desejo seus objetos,
Estrategicamente arrumado para chamar a atenção,
Apelando com preços fracionados e parcelas no cartão de crédito.
Me convence em te admirar provocando sensações.

Oh!! Vitrine de ilusões nesse espelho mágico.
Me faz acreditar que tudo posso e quero ter,
Gerando em mim uma escravidão de agir recorrente,
Pois toda vez que te vejo a necessidade surge do nada,
Coisas sem importância crescem de repente.

Eis que agora sou fisgada pelo seu encanto.
 O que era apenas um segundo de olhar
Tornar-se um magnetismo irradiado em todo meu ser.
O tempo agora não mais importa e os minutos viram horas.
Quem por mim espera perde a paciência e quer ir embora,
Eu prometo que não demoro, mas é difícil não me entreter.

Seguirei em frente e talvez mais adiante,
Nos corredores largos e ambientes perfumados,
Por onde caminho sem pressa ou desconforto aos pés,
Sem perceber minha hipnose involuntária,
Seja no início do dia, tarde ou final da noite,
Ficarei novamente fascinada pela vitrine seguinte.

Salvador-BA, 19 de Janeiro de 2011